Cólicas e refluxo

bebes

Cólica e refluxo são descritos como causa de dor e choro nos primeiros meses de vida do bebê. E são frequentemente confundidas. Como diferenciar? O que fazer nesses momentos?

Sobre a Cólica

O bebê que chora puxando a perninha em direção à barriga pode estar tendo cólica. Ela costuma surgir no fim da tarde ou início da noite e está presente em 15 % dos bebês segundo algumas fontes. 

No entanto, a cólica não é uma entidade muito unânime na medicina. Alguns médicos não acreditam que ela realmente exista e ninguém sabe a causa. Seriam gases? Imaturidade do intestino? Um estudo americano sugeriu recentemente que a bactéria Klebsiella poderia estar envolvida no mecanismo da cólica.

O que fazer para amenizar esse desconforto?

Recomenda-se à mãe evitar alguns alimentos que poderiam estar sendo transmitidos para o leite, principalmente o derivados de leite (queijo, pães, bolos…), mas há quem oriente restrição de cafeína, chocolate, pimentas e muitas outras coisas, nada ainda comprovado. Na prática eu mesma pude observar, apesar de completamente incrédula no início, como a dieta interferia nas cólicas dos meus filhos.

Na hora da dor, o que funciona:

  • Distrair o bebê cantando músicas, andando com ele no colo, fazendo carinho
  • Colocar o bebê barriga com barriga conosco aquecendo com nosso próprio corpo
  • Amamentar – tem efeito analgésico e a sucção acalma
  • Usar compressa morna – almofada térmica instantânea (aquece em 10 segundos após apertar um dispositivo em formato de moeda), bolsa térmica com sementes naturais (para uso no microondas) ou toalha úmida aquecida no microondas (cuidado com a umidade e a temperatura elevada)

Nenhuma medicação tem eficácia comprovada. Luftal® não tem benefício comprovado. Funchicórea também não – aliás, ela está proibida devido aos seus efeitos colaterais.

Aos quatro meses de vida os bebês começam a melhorar os sintomas de cólica.

Thermosensi
Thermosensi – Comprar em: MercadoLivre
 
Bolsa térmica com sementes naturais – Comprar em: Elo7

Sobre o Refluxo

O refluxo está presente em 50 % dos recém-nascidos. Ele costuma ser natural, fisiológico, até os dois anos de idade, não representando doença. Se manifesta no recém-nascido pela golfada, que não traz nenhum desconforto pro bebê. O esfíncter gastro-esofágico imaturo permite o retorno de leite para o esôfago e ele é regurgitado.

Mais raramente, ele pode ser patológico, quando está associado a dor e perda de peso, merecendo tratamento medicamentoso. A dor é sobretudo após as mamadas, o bebê chora quando em posição deitada e melhora quando em pé, e pode apresentar salivação excessiva e soluços constantes.

Entre as medidas não-farmacológicas estão evitar roupas apertadas e fracionar as mamadas em mamadas mais curtas e frequentes.

A alimentação da mãe deve ser a mesma do bebê com cólicas: nada de derivados do leite, chocolate, etc.

É recomendado também elevar a cabeceira do berço uns 15-20cm (45º.). O problema é que o bebê vai escorregando… Pensando nisso foi desenvolvido o Colchão anti-refluxo Sogni D’Oro ilustrado abaixo. Encontrei também uma almofada/rampa anti-refluxo em várias lojas online. Ela vem com um “paraquedas” que funciona com um suspensório para prender na grade do berço. Está frequentemente em falta, mas não parece difícil de mandar fazer. Há ainda várias outras opções disponíveis para compra na Amazon (.com e .uk) usando velcro para o fechamento. Uma opção econômica seria colocar uma elevação nos pés do berço ou sob o colchão e deixar uma toalha como anteparo no bumbum do bebê.

Colchão anti-refluxo Sogni D'Oro
Colchão anti-refluxo – Comprar em: SogniDoro

 

Se o bebê está usando leite de fórmula e apresenta muitos vômitos ou perda de peso, pode ser recomendado pelo pediatra o uso de fórmulas anti-refluxo (A.R.). Elas não aumentam o teor calórico de leite, de forma a não aumentar o risco de obesidade ou sobrepeso. São uma alternativa bem melhor do que acrescentar farinhas no leite comum.

Atenção! É um erro substituir o leite materno por uma fórmula A.R. sem a recomendação do pediatra se seu bebê apresenta refluxo. O leite materno é ainda mais facilmente digerível, reduzindo o refluxo. Além disso, as fórmulas A.R. podem causar constipação em alguns bebês.