Viajando com filhos: porquê, quando e pra onde

viagens

Quem me conhece sabe que minha família está sempre com as malas prontas. Somos inquietos por natureza e amamos conhecer lugares diferentes. Eu e meu marido programamos as viagens que gostaríamos de fazer antes de termos filhos e depois que eles vieram estávamos pensando em reduzir um pouco a frequência das viagens por um tempo. Mas não foi nada disso que aconteceu. Nossos filhotes começaram cedo e hoje curtem viajar tanto quanto nós.

Os benefícios de viajar com filhos

Sempre percebi alguma mudança nos pequenos na volta de cada viagem que fizemos. Mesmo bebês, até as professoras costumavam notar. A cada viagem eles voltam sempre muito animados com as experiências que tiveram. E voltam também mais independentes e seguros – essa conquista é inegável e muito bacana de perceber. Eles sempre aproveitam muito a convivência integral com pai e mãe. Aprendem bons costumes de outras culturas. Aprendem desde cedo as diferenças culturais, se interessam mais por outras línguas.

A partir de quando a criança pode viajar

A partir do momento que ela tomou todas as vacinas, aos dois meses, ela está apta a sair de casa com maior segurança. Eu me senti mais corajosa depois dos seis meses. Começamos indo pra casa de praia da família e hotéis tipo resort, depois nos sentimos seguros pra nos aventurar mais e mais…

A escolha do lugar

Tem lugares que oferecem basicamente passeios com trilhas e são próprios para crianças maiores. Tem outros que são quase inimagináveis pros pequenos. Ninguém vai pensar em levar um pequenino pra escalar Machu Picchu e ficar na beira daqueles penhascos.

Quando bebês, sem sombra de dúvidas as viagens mais tranquilas são para resorts e hotéis fazenda. Beira de praia ou clima de montanha, com bastante estrutura à disposição. Mas não é a única opção não, nem de longe. Quase qualquer lugar pode ser tornar viável com uma boa preparação prévia.

Consulte blogs de viagens com filhos antes de viajar. Vou dar algumas sugestões de blogs com ótimas sugestões de roteiros e dicas :
Viajando com pimpolhos
Viajar com crianças
Eu viajo com meus filhos
Aprendiz de viajante
A janela laranja

A escolha do hotel

Se o hotel é tipo resort, ótimo. Mas se a idéia é conhecer uma cidade, há que se preocupar com a localização e o transporte para os passeios. Trocar de hospedagem com frequência, com muitas malas e todos os apetrechos infantis pra carregar pode ser um transtorno só. O ideal é escolher uma cidade base, alugar um apartamento com cozinha ou um hotel com copa à disposição, e sair pra cidades vizinhas em passeios de um ou dois dias com o mínimo necessário nas costas. Procuro locais com pontos turísticos ou praças por perto e pontos de metrô, ônibus ou trem, dependendo do caso, além de acesso fácil a um mercado e farmácia.

Costumo olhar no mapa dos próprios sites e aplicativos para reserva da hospedagem. Gosto muito do Booking e Trip Advisor, para reserva de hotéis. Adoro Airbnb para reservar apartamentos e desde que o descobri, praticamente não faço de outra forma para viagens ao exterior.

Booking: encontre hotéis, classifique por preço, por localização, confira no mapa. Veja as fotos, as notas dadas pelos viajantes e leia algumas avaliações antes de escolher. Não esqueça de colocar a quantidade e idade das crianças para fazer a pesquisa. Com dois filhos é possível colocar apenas o mais velho na pesquisa e conferir com o hotel por mensagem se o menor pode dormir na cama com os pais.

bookin

Trip Advisor: excelente para checar fotos e avaliações de outros viajantes, ele direciona para o Booking, Expedia outro site para reserva. Além disso ele também mostra passeios, gastronomia e pontos turísticos, com relatos e dicas de outros viajantes.

tripadvisor

Airbnb: para reservas de casas ou apartamentos por alguns dias ou por temporada. É possível ler avaliações de outros viajantes e falar com o anfitrião. O mapa interativo do site é ótimo. Também disponibiliza dicas de passeios, gastronomia e pontos turísticos.

airbnb

O roteiro da viagem

Com bebês, o ideal é tentar manter a rotina de alimentação e sonecas. Viajando com filhos, o foco da viagem muda. Vida noturna agitada, longos passeios em museus, grandes caminhadas… nada disso é muito viável. Mas nem por isso a viagem se torna menos divertida. Eu gosto de programar uma manhã ao ar livre, em um parque local ou praia, levo um lanche na bolsa, depois almoçamos e os pequenos tiram uma soneca – mesmo quando já não fazem isso normalmente, eles às vezes se rendem ao cansaço (e eventualmente nós também). Depois saímos de novo pra um passeio diferente de tarde. Quando não estamos muito cansados, às vezes curtimos direto da manhã até o fim da tarde – e então todos desmaiam de exaustão.

Pra ajudar a traçar um roteiro para o dia, nada melhor que o Google Maps. Gosto de salvar (botão ‘SAVE’, da estrelinha) os pontos turísticos que vamos visitar, o endereço do hotel, os mercados e padarias ao redor, as farmácias, locadoras de carros. Para encontrá-los pode ser necessário usar a língua nativa ou inglês, veja exemplos abaixo. Pode também ser usada a visão de satélite para descobrir se há muitas ladeiras e se o aspecto da região é bom.

 

 

 

Deixe o seu comentário!