Dia Mundial do Autismo

criancas

Hoje é 2 de abril – Dia Mundial da Conscientização do Autismo. O azul é considerado a cor do autismo. “Acenda uma luz para o autismo”, vista algo ou ilumine algo de azul: essa é a campanha de conscientização para o autismo no dia de hoje.

O TEA (Transtorno do Espectro Autista) ou autismo se refere a um conjunto condições caracterizadas por desafios nas habilidades sociais, fala, comunicação não-verbal (gestos), comportamentos repetitivos, bem como outras particularidades.

Os números

Estima-se que 1% da população brasileira faça parte do espectro autista – são quase 2 milhões atualmente com a síndrome em nosso país. Hoje se sabe que há muitos tipos de autismo, causados por diferentes combinações de influências genéticas, neurológicas e ambientais.

Estima-se que 1/3 das pessoas com autismo permanecem não-verbais e 1/3 têm uma deficiência intelectual – os outros 2/3 não possuem qualquer atraso no desenvolvimento intelectual.

Há maior incidência de distúrbios gastrointestinais, convulsões, distúrbios do sono, déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), ansiedade e fobias em pessoas autistas.

Causas

Fatores genéticos

Não há um gene especificamente causador, mas uma variedade de mutações e anomalias cromossômicas vêm sendo associadas ao autismo. O autismo é 4X mais frequente em meninos e também é mais frequente quando há história de autismo na família, sugerindo uma herança genética.

Fatores ambientais

O autismo não é regido apenas por fatores genéticos: muitos estudos sugerem que fatores como stress, infecções, exposição a substâncias químicas tóxicas, alterações metabólicas ou outras complicações durante a gravidez podem impactar no desenvolvimento do feto e levar ao do autismo.

Condições que afetam o risco

Algumas condições estão estatisticamente associadas a uma maior frequência de TEA, por exemplo: idade avançada dos pais (pai ou mãe), prematuridade extrema (antes de 26 semanas), baixo peso ao nascer, gestações múltiplas (gemelares) e gravidez com espaçamento inferior a um ano.

Reposição de ácido fólico antes da concepção (a recomendação atual é iniciar 2 meses antes de tentar engravidar) reduz o risco de autismo.

Vacinas NÃO têm nenhuma associação comprovada com o autismo.

Os sinais

Sinais de TEA podem aparecer entre 2 e 3 anos de idade e por isso é recomendada avaliação precoce no caso de alguma suspeita. Em geral é possível ver já no bebê todos os sinais de autismo presentes nas crianças maiores, porém adequados à sua idade. Por exemplo: o bebê não vai conseguir sair correndo e subir em tudo, mas vai ter comportamento mais inquieto, só querendo dormir ou ficar no colo em posições estranhas, vai se alimentar com determinados rituais, etc.

Para ajudar os pais a saber quando procurar ajuda há o questionário M-CHART indicado para uso a em crianças de 18 meses-24 meses. Ele não tem valor diagnóstico, mas ajuda a identificar os casos suspeitos, sendo indicada avaliação especializada quando o resultado for superior a 3. Veja questionário em post antigo aqui do Blog.

Para crianças maiores, muitas outras escalas existem, para serem aplicadas em entrevistas com os pais, cuidadores/professores: ASQ, ATA, CARS, ABC, ADI, ADI-R, ADOS… todos avaliando aspectos de interação, comunicação, padrões repetitivos de comportamento, interesses, atividades.

Fonte: site Entendendo Autismo

Diagnóstico Precoce

Quanto mais cedo a família e a escola forem orientadas sobre o quadro da criança, melhor será sua inserção social e aquisição de autonomia. A intervenção precoce pode acontecer mesmo antes do diagnóstico conclusivo, com intenção de estimular as potencialidades e buscar formas de adaptação para a comunicação e interação.

Assim que uma bandeira vermelha estiver levantada… estará indicada a avaliação profissional.

Deixe o seu comentário!

Error: Access Token is not valid or has expired. Feed will not update.
This error message is only visible to WordPress admins

There's an issue with the Instagram Access Token that you are using. Please obtain a new Access Token on the plugin's Settings page.
If you continue to have an issue with your Access Token then please see this FAQ for more information.